Crise grega retratada no cinema é tema de palestra nesta terça

O GP Modos de Ver (ESPM/CNPq) e o Laboratório de Estudos de Memória Brasileira e Representação (LEMBRAR – MPGEC ESPM Rio) têm o prazer de convidá-los para a palestra ‘The Storyteller Who Survived’: a crise grega através de seu maior blockbuster Worlds Apart [Mundos Opostos], de Christopher Papakaliatis (2015), com Panagiotis Zestanakis, PhD, pesquisador do Institute for Media and Communication – Hamburg University.

Data: Terça-feira, 9 de julho, das 15h às 18h.

Local: Auditório da ESPM Rio (Rua do Rosário, 111 – Centro – Rio de Janeiro).

Baseada no roteiro do filme, artigos, entrevistas do realizador na mídia e etnografia virtual, a palestra explorará o sucesso do filme de Papakaliatis, tendo em vista seu discurso anti-austeridade e construções de memórias que apostam em estereótipos relacionados à crise e à imagem de uma Grécia “próspera” pré-crise.

Em que medida este blockbuster grego atuou na elaboração de memórias nostálgicas do público ligadas à imagem dos “prósperos” anos 2000? Como relacionar o caso grego com obras da atual cinematografia brasileira e latino-americana que também trabalham narrativas que constroem a “memória da crise” do capitalismo pós-moderno em países periféricos?

OBS: Evento gratuito. Inscrições pelo email [email protected] até 2 horas antes do evento (até 13h de terça-feira, 9/7).

Requer apresentação de documento com foto para acesso ao auditório. Antes da palestra, o filme Worlds Apart [Mundos Opostos] será exibido ao público (legendas em inglês).

Christopher Papakaliatis apareceu no show-business grego na década de 1990; tornou-se muito popular na década de 2000 como um artista multitalentos, escrevendo roteiros, dirigindo e interpretando papéis como protagonista em séries de TV. Algumas de suas séries como “Take Care of Me” e “Close your eyes” tiveram um sucesso significativo. A maior parte de suas produções incluía filmagens dispendiosas, realizadas fora da Grécia. Papakaliatis chegou a ser considerado um realizador hiper-centrista e narcisista, que repetidamente trabalhava “temas de luz” (geralmente, o amor) e exagerava em fotografias e músicas “polidas” ao estilo de Hollywood.

Durante a crise grega, Papakaliatis mudou sua orientação narrativa para questões políticas. Essa mudança começou com o filme “What If” (2012), em que Papakaliatis aborda questões como o aumento do desemprego, o desespero juvenil e a fuga de intelectuais gregos para o exterior. O filme recebeu duras críticas, mas vendeu cerca de 500.000 ingressos, fazendo de Papakaliatis uma das poucas personalidades da mídia grega que sobreviveu à crise. Papakaliatis destacou a mudança no cerne de seus argumentos com o filme “Worlds Apart” (2015), no qual se concentra a palestra do pesquisador do Institute for Media and Communication da Hamburg University, Panagiotis Zestanakis, PhD.

Baseado em três histórias de amor entre gregos e estrangeiros que vivem em Atenas (um refugiado sírio, um economista sueco e um professor alemão), “Worlds Apart” vendeu mais de 700 mil ingressos na Grécia. O filme trata de vários temas muito discutidos ao longo da crise grega: a questão dos refugiados, a política de extrema-direita, a violência anti-imigração, a deterioração dos padrões de vida, a alta do desemprego e o crescimento de estereótipos anti-norte-europeus.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.