Festivalzinho no CCBB – Música para pais e filhos

Pesquisa de mestrado pode virar festa?

Pode sim, senhor!

A prova é o Festivalzinho, que teve sua primeira edição no domingo, dia 30 de setembro, na unidade carioca do Centro Cultural Banco do Brasil. O Festivalzinho foi um evento musical gratuito que ocupou vários espaços do CCBB, das 12h às 17h, com shows, DJs, atividades lúdicas e muita diversão para crianças e adultos curtirem juntos.

O Festivalzinho também foi um dos resultados da pesquisa do Fábio Maia, aluno do Mestrado Profissional em Gestão da Economia Criativa (MPGEC), da ESPM-RIO, orientado pela doutora, pesquisadora e professora do curso Lucia Santa Cruz.

Fábio já produz há algum tempo a festa BABY BOOM, que reúne pais e filhos de todas as idades para se divertirem ao som de rock. Ele, que é publicitário, entrou no mestrado justamente querendo entender mais profundamente como acontece a transmissão do gosto musical de uma geração para outra. O resultado da pesquisa do Fábio também vai ser materializado num documentário em vídeo. Mas, entre estudos do conceito de habitus segundo Bourdieu e das diferenças geracionais de acordo com Tapscott, acabou nascendo mais um produto: justamente o Festivalzinho.

Com a curadoria artística da Baby Boom, o Festivalzinho recebeu, no Teatro I do CCBB, os shows dos Beatlemaníacos (com repertório homenageando o quarteto de Liverpool), da Rock de 2 (tocando clássicos do rock e do pop nacional e internacional, em formato acústico), além da apresentação inédita – criada exclusivamente para o evento – do projeto Alma de Noé, em que a cantora nova-iorquina Alma Thomas e o guitarrista Thiago Trajano recriam, em ritmo de jazz e de soul, as canções do clássico “A Arca de Noé”, de Vinícius de Moraes e Toquinho.

Durante a o evento, a rotunda do CCBB se transformou em uma pista de dança, ao som do DJ Jorge LZ. Neste mesmo espaço, as crianças também eram maquiadas com temática roqueira e confeccionavam suas próprias guitarrinhas de papelão.

E até quem não conseguiu entrar no Teatro, porque a lotação máxima era atingida muito rapidamente, tomou conta do foyer do CCBB para assistir aos shows através da transmissão por um telão e acabou transformando esse espaço, praticamente, em um outro palco.

Além de conquistar o público, recebendo mais de mil pessoas, entre adultos e crianças, o Festivalzinho ganhou também um destaque em toda a imprensa. E todo esse sucesso fez com que uma nova edição já entrasse nos planos do CCBB para as férias de verão, em janeiro. Estamos na torcida!

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.